Casa de Criadores #3

Texto por Roberta Maria de Padua @bta_maria
Fotos por João Roma @joao_roma

Nessa noite de quarta (9) O projeto Lab, tradicionalmente realizado pela Casa de Criadores revelando novos estilistas, dividiu o backstage com três criadores residentes da Casa ( Di Fávaro, Rafael Caetano e Rober Dognani) trazendo pela terceira vez Ellias Kaleb e outros quatro nomes que fazem sua estreia no evento (ACRVO, Caroline Funke, Ellias Kaleb, Renata Buzzo e ModaLab Inacap - Chile). 

Às vésperas de desfilar sua coleção fora do País, Diego Fávaro arranca suspiros com uma coleção inspirada no bairro nova-iorquino do Bronx nos anos 80. Nem um pouco caricata, Diego traduz suas referências para o street style atual. Com um casting 100% negro, incluindo uma criança que virou a atração do backstage; Diego diz não ter como ser diferente, afinal a comunidade negra foi a que povoou o bairro na época. Sua pesquisa a princípio era sobre basquete, até que se deparou com o bairro do Bronx, que desencadeou em todas as suas decisões posteriores a isso.

Fez questão de deixar a beleza de seu desfile por conta do carioca Brenno Melo, makeup artist que conheceu durante seu desfile na temporada anterior. O maquiador que tem construído sua carreira pensando na beleza para a pele negra, se inspirou nos tradicionais salões de bairro, trazendo consigo a vivência de ter crescido na periferia, onde esses salões são comumente presentes. Sua equipe de profissionais, também 100% negra, contava com trançadeiras que cuidavam das madeixas dos modelos com uma pele natural e bem iluminada, como propôs Brenno que se apresenta orgulhoso diante da equipe.

Inspirado em uma peça chave de coleções anteriores, a camisa de neoprene com recortes, Rafael Caetano determinou desde os tecidos até a cartela de cores da coleção a partir dessa peça. Incluído tons de cinza e peças prateadas para equilibrar a coleção. Além das estampas gráficas presentes em algumas roupas.

Caroline Funke, faz sua estreia não só como primeiro desfile na casa. Mas, como primeiro desfile da carreira. Uma coleção muito bem executada tanto em termos de técnica quanto de conceito, sem nenhum carácter de principiante. Caroline leva a passarela um conto de fadas que mistura referências do renascentismo e surrealismo diluídos em brocados, babados, alfaiataria e uma variedade de tecidos nobres.

Há três dias consecutivos na Casa de Criadores, entre styling de Felipe Fanaia e suas próprias criações. Rober Dognani, conta a história de uma mulher forte que sobrevive a “tombos” da vida. Tendo ela passado pelo filme o vale das bonecas, de onde surge a principal inspiração da coleção sob a estética setenta. As peças são compostas de tule com lastex, musseline de seda, brocado italiano e vinil.

Projeto Lab
Com a coleção chamada Babel, Ellias Kaleb discute a relação entre ocidente e oriente buscando fundir essas linguagens que se desencontram. Já a ACRVO traz uma coleção inspirada em minérios, rica em detalhes e com ar um tanto futurista. A marca se preocupa com a responsabilidade social, utilizando apenas couro sintético e técnicas de estamparia que não prejudica o meio ambiente. Renata Buzzo, ressignifica marcas de um desgosto pessoal, transformando seus tecidos que foram danificados a fim de prejudicá-la, numa coleção suave e delicada.