Casa de Criadores #1

Texto por Roberta Maria de Padua @bta_maria
Fotos por João Roma @joao_roma

O primeiro dia da 40º edição da Casa de Criadores inicia agitado, trazendo nomes que, por meio de suas criações, explicitam o processo criativo e o desenvolvimento de seu trabalho. Do frescor no caimento impecável da Handred, marca carioca que faz sua estreia na Casa, à metamorfose desencadeada por Felipe Fanaia, que carrega sua estória em cada detalhe.

Alex Kazuo, ansioso pela sua estreia e concentrado durante todo backstage, conta após o desfile, que produziu tudo praticamente sozinho, desde a criação à confecção das peças, utilizando tecidos de descarte. Fazia questão que tudo estivesse impecável, vivendo sob uma rotina agitada de apenas 3 horas de descanso durante as últimas semanas. Desfila sua coleção em uma cartela de pretos que silencia toda inquietação a qual se apresentava.

Os parceiros Porto Alegrenses, Deisi Witz e Igor Bastos, da Ocksa, apresentam a segunda parte de um projeto chamado Piloto, tendo sua primeira parte desfilado na edição anterior da CDC, e elaboram peças a partir de modelagens das pilotos da última coleção, adicionando texturas e acabamentos que aproximam com seu processo de criação.

Atitude e lifestyle também marcam presença com um time de modelos que tem levantado o discurso de liberdade estética, ainda pouco discutido no cenário de moda nacional. Ganhando o público com sua atitude, ressignificando conceitos e mostrando novas possibilidades dentro do mercado. Eles brincam como crianças sob a modelagem oversized de Felipe Fanaia que embala com sentimentalidade a superação de um drama pessoal e o resgate da infância, pegando elementos da alfaiataria militar e passando pela suavidade do candy color, fechando o primeiro dia de desfiles da Casa de Criadores.