Felicidade é sinônimo de amor

Texto: Gabriel dos Anjos / Foto: Dominik Tarabanski

Eu quero um amor doce, que não quebre junto a tempestades. Quero um amor que faça com que as lágrimas sequem com o sol lá fora. Eu quero entregar meu coração, de bandeja (com prato, talheres e copo). Será que é tão difícil encontrar alguém que reconheça o teu amor? E que você não precise ficar se reinventando a cada segundo? Encontrar alguém que você não precise deixar de ser você.

Eu quero amar de verdade, daqueles amores que não poupam coração. E quero também ficar namorando uma foto, relembrando o sorriso. Beijar o beijo esperado. E ter conversas bobas mas que se tornam especiais. E sentir o perfume no travesseiro.

Eu quero poder amar sem medo, sem angústias. Amar sem tantas dores, sem falsidade.

E contar as horas no relógio para ter o primeiro encontro. E me arrumar, meu Deus, com que roupa eu vou?

E pegar na mão e deixar o amor entrar. Eu quero me encantar pela luz dos seus olhos e me arriscar em escrever um mísero bilhete dizendo as minhas verdades e com um puta receio de que você não goste de alguma coisa,  mas eu tenho que arriscar.

Eu quero sonhar contigo, com as delícias, com as carícias. E quero enfrentar um dia problemático no trabalho e na volta pra casa receber uma mensagem sua, dizendo: vamos jantar?

E quero pular as sete ondas e desejar sorte para o nosso amor e pedir que a felicidade seja o sinônimo do nosso amor.

Quero o usar um anel de prata com as nossas iniciais (cafona isso, mas tá valendo). Eu quero você, eu preciso de você. E me apaixonar cada vez mais, eu sei que é possível.

E com você, eu quero me jogar nesse salto sem rede de proteção, que eu apelidei de AMOR.

E quero que você me mostre seu bel-prazer. Eu não vou te fazer sofrer, prometo! Deixe o amor entrar nesse coração.

Eu quero contigo inventar a nossa eternidade e então, te juro meu amor eterno.

Vou estar do teu lado, para o que der e vier e você ao meu. É que sem você aqui, nada tem tanta cor assim!

Ah como eu quero decifrar o teu olhar e te fazer sorrir. Como eu quero entrar nesse barco contigo, estando furado ou não. É que eu confio em você e sei que você vai me salvar.

Eu quero um amor de verdade e sei que você pode me dar. Não, não quero conto de fadas. Quero de vez em quando algumas brigas pra deixar a saudade bater forte. E, para depois a gente se entender entre nossos beijos, nossos lençóis, nossos laços. Quero sentir uma ou outra hora um ciúme bobo e que você sinta de mim também.

Eu sei que em algumas horas tudo será mais difícil e que nós vamos pensar em desistir. Eu sei de tudo isso. Mas por mim, por você, pela gente, nós não vamos desistir. E vamos dar as mãos e enfrentar todos os leões. E vamos sentir pavor juntos, e vamos afogar juntos e vamos sobreviver juntos. Para que a nossa história se faça presente, mas para isso, temos que desenhar a linha continue da nossa vida, do nosso amor. Juntos, desde o nosso para sempre.