Do direito de.

Texto: Anthonio Andreazza

Pride London 2016 by Pablo Di Prima

Pride London 2016 by Pablo Di Prima

Amar. Andar. Se vestir. Respeitar.

Do lugar de um qualquer. Seja esse o ponto de vista. Fico aqui esperando o meu tempo de poder fazer tudo que você, detentor dos direitos, pode e adora mostrar para nós, como não podemos.

Você, detentor do direito de amar, de se vestir como quiser, de se identificar com o nome da sua escolha, de se tornar quem deseja, de alegar o que é possível vestir, de como podemos orar, de onde podemos ir, de onde podemos estar. Prefere que não existíssemos.  

Você detentor de tudo, gosta de esfregar em nossa cara como não temos quase nada.

Você, prefere que as nossas migalhas sejam tão poucas que, se abrimos um sorriso, demonstramos afeto, nos vestimos como somos. Você, opressor, prefere nos maltratar, assediar, violentar, xingar, espancar, estuprar, metralhar, matar.

Nós, somos muitos. Seja qual for nossa diferença, nos unimos. Vocês não passarão impunes.

Nossa coragem é muito maior do que sua covardia.

Nossa força é mais potente que a sua.

Você não tem o direito de nos desrespeitar.

Nós temos o direito de nos expressar. Nós temos o direto de viver. E vamos nos defender.

Se sentiu ameaçado? Olha, é o sentimento que temos ao nos assumir a nós mesmos. É o sentimento que temos ao sair nas ruas. É o sentimento que temos quando pensamos que podemos sair na rua e morrer. porque. um. de. vocês; detentores. do. que. é. certo; pode. nos. matar. por. motivo. qualquer.

uma vida a menos.

por um babaca.

sua filha morreu.

seu filho morreu.

morreu

 

por ser quem era.

por um ato covarde

 

morreu.

Continuamos nossa luta.

Dos direitos de.