Picho no feminino.

Por Clara Balbi

Eram mulheres as autoras das primeiras pinturas rupestres. Pelo menos é isso que defende um estudo publicado por Dean Snow, da Penn State University, em 2013. No artigo, o arqueólogo defende que muitas das inscrições mais antigas do mundo, realizadas entre 20 e 40 mil anos atrás, foram feitas por mulheres. Se há quem diga que o picho é tão antigo quanto o homem, talvez seja hora de transpor a frase para o feminino: são as mulheres que picham desde o Paleolítico Superior.

As pichações que encontrei nos banheiros femininos da Universidade da Califórnia em Berkeley, nos EUA, estavam longe de ilustrar rituais religiosos e histórias de caça. Também em nada se assemelhavam àquelas que cansei de ver nos postos de gasolina brasileiros, saturadas de piadas pornográficas e juras de amor eterno. Não: as inscrições nas portas dos banheiros do subsolo do Dwight Hall eram tão íntimas quanto curiosas. Iam de vagas palavras de ordem (“Parem o Hamas!”; “Paz para o Oriente Médio”) a confissões desesperadas das alunas de uma das melhores escolas do país: “Estou entupida de remédios só para sobreviver a esse lugar”.

Mais importante, elas também serviam de meio de comunicação entre as garotas. Um lugar onde elas podiam, anonimamente, expressar suas grandes questões filosóficas – e encontrar apoio. Embora apócrifas, as relações ali desenvolvidas eram reais. E a mensagem, no final, só uma: você não está sozinha.
 

Traduções:

1) “Feminino”

2) “Paz para o Oriente Médio”

3) “Boicote, desinvestimento e sanções a Israel Apartheid” [referente ao movimento BDS,

de apoio à causa palestina]

4) “Esta não é uma universidade pública” [embora pública, pertencente ao estado da

Califórnia, as tuitions de Berkeley tornam frequentar a universidade impensável para

boa parte da população do estado]

5) “Qual é o sentido?”

6) “A estrela mais brilhante no céu nem sempre é a maior. Continue brilhando e você será

notada e amada.” / “Você é mais do que uma nota. O quanto você vale não está ligado

às suas habilidades acadêmicas. Eu te valorizo e aprecio, como pessoa e estudante.

Sorria, querida, e não perca a perspectiva. Continue a ser você, a melhor versão de

você. Go bears [grito de guerra do time da escola], fica bem. Amor.” / “Amei isso.

Deixe a competividade na porta. Você já entrou na UC Berkeley.”

7) “Me entupo de remédios só para sobreviver a esse lugar”

8) “Estou apaixonada. 30/07/2014.” / “Ai, eu também.” / “Eeee cortaram meu coração.” /

“O mesmo. ):”

9) “Será que eu tô grávida?” / “Está?” / “Por favor responde”

10) “Parem com o Hamas”