Sobre as diferenças.

Fotos: Thaysa Paulo
Texto: Roberta Graham
Modelo: Igor Furtado

Incomum.

Estranho, que também pode ser chamado de incomum. Estranho, aquilo que não se conhece. Tudo que apresenta mistério. O que é espantoso, o que foge às regras, aquilo que nos isola do convívio social. Estranhos podemos ser ou estar - dificilmente somos estranhos quando queremos e normais quando desejamos. O estranhamento é um flagelo que vem da alma e que - situado no âmbito das diferenças - colhe tanto os louros da criatividade quando as agruras da rejeição. 

Ser diferente da massa e, portanto, ser estranho, depende mais do contexto social do que de fatores absolutos. O que é estranho aqui, pode ser perfeitamente normal ali. A fotógrafa Thayssa Paulo decidiu testar as reações àquilo que foge da norma, levando o diferente pela mão, em inusitados cenários do Rio de Janeiro. Sua intenção é, em suas próprias palavras, “a desconstrução do eu padronizado que nos é imposto, para reconstrui-lo sobre bases sociais mais sinceras”. Confira as imagens!