CASA DE CRIADORES #2 - 20 ANOS

Texto por Roberta Maria de Pádua  @bta_maria
Fotografia por Bruna Hissae @bruna_hissae

Em seu segundo dia, a 41º edição da Casa de Criadores, recebeu os estilistas Igor e Deise da Också; Felipe Fanaia; Tarcísio Brandão e Weider Silveiro.

Quem abre os desfiles desta terça é a marca Ocksa, com a coleção " Inominada", fazendo um contraponto entre o urbano e a fragilidade. Com peças versáteis e um trabalho de modelagem que atravessa as coleções "Piloto", os estilistas unem tecidos tecnológicos a tecidos orgânicos, numa paleta monocromática de brancos e pretos.

Felipe Fanaia, revisita o filme " As patricinhas de Beverly Hills". Ele traz Cher, a personagem principal do longa, como uma digital influencer que realiza um desfile, revivendo sua época de escola. Nas estampas da coleção, é possível ver algumas referências visuais do filme, como o clássico xadrez amarelo de Cher. As peças tem uma modelagem ampla e bem elaborada, fugindo do óbvio em relação ao longa. Cada peça é singular. Porém, a coleção no seu conjunto, é harmônica. Seu desfile contou com a presença do make-up artist, Max Weber, abrindo o desfile e show de Rico Dalasam.

Inspirado na Espanha, Weider Silveiro, desconstrói a camisaria e peças de brechó, propondo uma certa deformação na silhueta por meio da desconstrução da camisaria. Mas, ainda assim, extremamente feminina. Pensando em desenvolvimento sustentável, a coleção contém peças em upcycling de Jeans e a poliamida da Rodhia, que são fibras biodegradáveis.

Ellias Kalleb, fecha a noite com desfile perfomático. Trazendo uma reflexão sobre o tempo e o efêmero. Ele levanta questões sobre o ritmo acelerado da produção de moda, com um apelo ao slow fashion.