Young revolution

Our-Childrens-Trust-Lawsuit-889x610.jpg

Ontem, milhares de adolescentes americanos marcharam em Washington para protestar contra a violência armada em suas escolas.

O envolvimento de jovens que ainda estão cursando o ensino médio em questões tão importantes à sociedade como um todo, serve não apenas como inspiração, mas também como uma lembrança de que a capacidade de mudar as regras e sistemas com os quais, nós adultos, conduzimos o mundo está em nossas mãos. Deixar as coisas como estão, em um estado de contínua apatia, é uma escolha.

Nesta semana, o The New Yorker fez uma série de artigos com retratos de jovens determinados a mudar o status quo.

Vale conferir a reportagem de Emily Witt, que foi conhecer de perto os estudantes que estão iniciando o movimento Never Again, de Parkland, Flórida, contestando a cultura armamentista americana e exigindo que atentados como o do mês passado nunca mais se repitam no país.

Ainda mais surpreendente é a matéria de Michelle Nijhuis, que apresenta os adolescentes da Califórnia que estão processando o governo por causa das mudanças climáticas.

 E ainda a reportagem que investiga a campanha de Tahseen Chowdhury, um estudante do ensino médio que está concorrendo, como candidato progressista, ao Senado do Estado de Nova York.

Como um veículo jovem, independente e transformador, 'CAUSE acredita nas mudanças e, principalmente, na força da juventude para promovê-las, a despeito da inércia das cabeças dominantes nos mercados e governos internacionais. Não à toa, nossa primeira edição impressa, THE NEW WORLD, defendia que um novo mundo vai se estabelecer a partir do momento em que jovens millenials, nascidos entre 1980 e 2000, chegarem a posições de liderança e poder. 

Estamos ansiosos para construir esse novo mundo e abrir espaço para que novas ideias, novos sistemas econômicos, novos balizadores ecológicos e novas estruturas sociais sejam organizadas para que uma nova era tenha início em nossa planeta.

E desejamos que isso aconteça antes mesmo que as primeiras colônias humanas precisem ser estabelecidas em outros planetas, graças ao fracasso dos sistemas que vigoraram até agora.

Mais uma vez, gostaríamos de abrir as portas ao Novo. 

Confira as matérias em The New Yorker

https://www.newyorker.com